Salvem os botos cinza! Patrimônio material do Rio de Janeiro

on

A coluna “Informe”, do Jornal O Dia, destacou na edição desta quarta (1º) o Projeto de Lei 1752, da autoria do vereador Carlos Eduardo, que declara como patrimônio cultural de natureza material da cidade do Rio de Janeiro o boto cinza.

A medida tem como objetivo fazer um resgate de um dos símbolos da cultura carioca, o boto cinza. Esse golfinho vive na orla da cidade há muitas gerações e tornou-se símbolo do município do Rio de Janeiro em 1896.

Atualmente, estima-se que vivam na Baía de Guanabara cerca de 35 animais dessa espécie, e na Baía de Sepetiba o número chega a quase 1000.

Porém, a população de boto cinza encontra-boto-da-baia-de-guanabara-e-um-dos-animais-mais-contaminados-do-mundose ameaçada pela pesca predatória no local, e sofre com a falta de fiscalização da mesma. Nos últimos dez anos, foram mortos mais de 300 desses animais tão importantes para a memória do povo carioca.

Daí a importância do Projeto de Lei 1752, que chama a atenção das autoridades e órgãos responsáveis à necessidade de preservação da espécie, ao declarar o boto cinza como patrimônio cultural de natureza material do Rio de Janeiro.

Foto de Doutor Carlos Eduardo.