VÍTIMA DE CÂNCER, MENINA CRIA MOCHILA PARA FACILITAR TRATAMENTO DA DOENÇA EM CRIANÇAS

Foto: Reprodução / Gofounde.com

Uma estudante norte-americana, de apenas 11 anos, que sofre de câncer, criou um equipamento médico que pode tornar o tratamento da doença mais fácil para as crianças. Moradora de Naugatuck, em Connecticut (EUA), Kylie Simonds elaborou uma mochila capaz de carregar todo os tubos e aparelhos para tornar a quimioterapia menos dolorosa para os pequenos e também facilitar o cotidiano deles. Através de uma página para arrecadação de fundos na internet, ela está juntando dinheiro para elaborar ainda mais a sua ideia, que já foi patenteada. As informações são do jornal The New York Daily News.

Kylie foi diagnosticada com rabdomiossarcoma – um câncer que afeta os tecidos moles (músculos), tecido conjuntivo (tendões) e ossos – em março de 2011. Ela foi submetida a 46 semanas de quimioterapia. A doença agora está em remissão e, por isso, ela direcionou seu foco em trabalhar na sua criação.

“Eu sempre tropeçava no tubos. Era difícil andar por aí e eu sempre tinha que ter alguém para empurrar o equipamento para mim. Principalmente, porque eu estava fraca, quando eu estava em tratamento de quimioterapia”, lembra a menina, cuja solução para o problema foi elaborar a um equipamento próprio.

Foto: Reprodução / Gofounde.com

Seu protótipo é uma mochila rosa, da personagem Hello Kitty, que carrega um sistema ligado à bateria capaz de regular a dosagem de quimioterapia recebida pela paciente. Há também uma suporte para proteger os remédios.

Foto: Reprodução / Gofounde.com

Professores de Kylie ficaram impressionados assim que ela apresentou a sua mochila na Convenção de Invenções em Connecticut, onde o equipamento e mais de 700 inovações foram exibidos. A mochila levou para casa quatro prêmios, incluindo o Prêmio de Patentes, que cobriu os custos de registro de sua invenção.

Foto: Reprodução / Gofounde.com

No mês passado, ela criou uma página para arrecadação de fundos na internet para juntar dinheiro e fazer um protótipo ainda mais elaborado. Em duas semanas, ela superou sua meta inicial de quase R$ 4.500. “Sou muito grata pelo apoio que recebi. Eu ainda tenho um longo caminho a percorrer, mas estou bem encaminhada”, comemorou.

Anúncios