Enquanto… – Semíramis Alencar

Enquanto a luz não acabar quero prestar bastante atenção no colorido das árvores: verdes, de matizes sem igual e os pássaros que nelas habitam, multicolores.

Enquanto meus olhos não fecham deixe-me ver novamente suas mãos e seu rosto para lembrar quão lindo é o teu sorriso e poder dizer que tudo valeu à pena.

Enquanto a luz me permitir ver, quero todos os dias olhar meus filhos e decorar o semblante de seus rostos, para que possam ficar nítidos em minha lembrança.

Enquanto houver luz em meus olhos, permita-me passar noites em claro sem questionamentos, pode ser que a lua esteja cheia e eu queira louvá-la, bem como à centenas de planetas!

Enquanto eu tiver independência deixe eu me guiar pelos meus próprios passos e não me imponham limites para sonhar, ainda que um sonho utópico. Deixe-me andar por diversos lugares para registrar em imagens e pensamentos cada semáforo, concha, onda, nuvem, semblantes, estradas, ruas e monumentos.

Enquanto eu tiver equilíbrio e autonomia conceda-me a liberdade de encontrar meus amigos, beber, rir e chorar de tanto rir das loucuras do mundo. Que estes sejam tão loucos quanto eu e percebam que minha insanidade é inofensiva e infantil, na grande maioria das vezes.

Enquanto a luz me for incômoda deixe-me andar debaixo do sol com minha bicicleta. E que ela seja ágil para eu correr de um extremo a outro da cidade em que vivo, enquanto sinto os raios de sol aquecendo e evaporando o perfume dos eucaliptos, enquanto meu mp4 toca a música que eu mais desejo ouvir naquele instante…

Enquanto eu puder discernir as formas e texturas, deixem-me na sublime companhia dos animais: gatos, cães, passarinhos, cavalos, patinhos e burrinhos, para que eu volte a ser criança olhando para a pureza deles.

Enquanto eu puder enxergar à clara visão, permita-me ler e reler livros e artigos que fizeram a vida ter mais sentido.

Respeitem minha decisão de estar em silêncio e absorver as coisas do espírito. Pode parecer uma postura ingênua acreditar nas leis de causa e efeito e que no mais além virei a entender tudo o que hoje me angustia.

Enfim, enquanto meus olhos enxergarem deixe-me ver e rever tudo o que me for mais caro e preciso e não me cobrem nada: nem sentimentos, atenções, afeições ou modos de ser, como eu deveria ser, pensar ou fazer, pois simplesmente pode não haver mais tanto tempo para me preocupar com coisas tão comezinhas…

Que a luz que brilha em seus olhos, brilhe para todos os seres em toda profundidade de matizes!

Semíramis Alencar

Noite de Outono em Itamonte, 26/03/2013.

Anúncios

2 comentários sobre “Enquanto… – Semíramis Alencar

  1. Aldeci, obrigada pelas generosas palavras.
    O que escrevo é o que está em meu coração,
    minhas vivências, meu foro íntimo.
    Fico feliz que as mesmas sirvam para incentivar
    outras pessoas!
    Um abraço fraterno
    Semíramis

    Curtir

Os comentários estão desativados.